Review - Nate and Margaret

7:15 PM Lorena Miyuki 0 Comentários


Diretor: Nathan Adloff
Idioma: inglês
Gênero: drama

Sinopse: Nate tem dezenove anos. Margaret tem 52. A amizade estranha, peculiar, mas que funciona bem fica abalada quando Nate acha seu primeiro namorado, que o afasta de Margaret enquanto ela tenta realizar o sonho de sua vida como comediante de stand-up.

O filme é de 2012.




Às vezes eu fico me perguntando como diabos eu chego a esses filmes, sério. Nate & Margaret apareceu, assim, do nada mesmo, e eu resolvi dar uma chance. Então resolvi escrever sobre ele também.


A história é basicamente isso aí da sinopse. Conhecemos primeiro Nate, que é um garoto bonitinho e carismático de dezenove anos, estudante de cinema (eu acho?) na faculdade. Ele tem uma colega que é um pouco mais próxima, a Darla, mas nada que se compare à sua amizade esquisita com Margaret, sua vizinha de 52 anos de idade e que é uma garçonete numa lanchonete de esquina - literalmente. Nate está desenvolvendo um projeto de filmagem e escolheu Margaret como sua personagem principal por diversos motivos (todos estranhos pra mim).

Porém, no meio do caminho surge uma festa. E nessa festa surge James, um cara ainda mais esquisito e suspeito que quer, a todo custo, levar Nate pra cama. Ok, certo, eles tem um romance leve, mas é mais que óbvio que a primeira intensão de James é trancar o bonitinho entre quatro paredes - ou nos bastidores de uma galeria de arte, quem sabe? Não importa. O ponto é que Nate é ingênuo e inexperiente, o que o faz ser praticamente carregado por James e seus pensamentos nada puritanos - e também pelo fato de que ele acha a amizade de Nate e Margaret a coisa mais estranha que ele já viu na vida.

Margaret, por outro lado, tem o sonho de ser comediante, então acompanhamos ela na luta para se apresentar em pequenos bares, casas de show e etc, até conhecer um agente que decide apostar em seu "talento". Esse fato e James acabam afastando os dois amigos inseparáveis até então.

Cartaz alternativo
Minha opinião em uma palavra: esquisito. A trama é esquisita, forçada até. Os atores são esquisitos, a atuação, tirando da Natalie West e, de vez em quando, do Tyler Ross (Margaret e Nate, respectivamente), é horrível! É desconfortável, inclusive, ficar vendo o esforço deles em se encaixar nas cenas... o que eleva tudo a um nível novo de esquisitice. James é um personagem muito forçado, tanto em questão de atuação quanto em inserção na história. E todos os outros coadjuvantes são super dispensáveis.

A ideia original podia até ter sido bem... hm, original. Mas não colou. A recepção do público, pelo que vi, foi péssima. É uma trama sobre amizade, não sobre amor ou qualquer outra coisa, mas deixou a desejar justamente por pecar nos detalhes dessa amizade. A gente não sabe direito nem como ela surgiu e cresceu do jeito que cresceu e, convenhamos, acho isso importante de ser explorado, já que é algo bem inusitado um garoto ser melhor amigo de uma mulher de idade e interesses bastante diferentes dos dele, e que não é nem sua parente.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...