Desafio Literário 2017 LGBTQ

4:19 PM Lorena Miyuki 0 Comentários

O post de hoje além de falar do ótimo desafio que o Folhetim Felino lançou, vem cheio de dicas de literatura fora da caixa também! Vem!

Cês sabem que eu adoro um desafio literário, né? Vi o Daniel, dono do blog Folhetim Felino, falando sobre um específico que ele elaborou só com literatura LGBT (e vou acrescentar o Q porque, né, por favor, tá precisando). É um desafio, infelizmente, porque ainda tem pouca gente que se dispõe a fazer leituras que são ou que estão sob o guarda-chuva da sigla de diversidade sexual e de gênero, e  é ainda desafiante pensar numa literatura nacional que se encaixe no proposto.

Pois bem: eu venho propôr que, além de cumprirem o desafio do Daniel, que tal dar uma chance pros nacionais? Vou dar dica em cada categoria de literatura internacional e nacional pra ajudar vocês! Vamos participar? Me deixem mais dicas também!

O desafio original que pode ser lido aqui.

Minhas dicas de leitura + desafio nacional!

Janeiro
Clássico internacional: Salto Mortal, da Marion Zimmer Bradley (vai ser difícil encontrá-lo porque as edições nacionais estão esgotadas, e quando se acha em sebo são caríssimas, mas é um clássico LINDO que vale a pena demais!).
Clássico nacional: O Terceiro Travesseiro, do Nelson Luiz de Carvalho (facilmente encontrado em diversas versões, foi um divisor de águas, digamos, na literatura nacional, então entra na lista como clássico).

Fevereiro
Contemporâneo internacional: Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, da Becky Albertalli (dá pra indicar esse em diversas categorias, mas vou deixá-lo aqui no início porque muita gente precisa ler esse livro!).
Contemporâneo nacional: Fake, do Felipe Barenco (nada mais contemporâneo que ele).

Março
Não-ficção internacional: Este livro é gay, do James Dawson (uma espécie de "guia" sobre diversidade sexual e de gênero e cuja tradução nacional merece respeito!).
Não-ficção nacionalEra Uma Vez Um Casal Diferente, da Lúcia Facco (sobre literatura, a  -falta de- diversidade e o porquê dela. Pra quem gosta de estudos literários e de gênero, é uma boa pedida!).

Abril
Jovem adulto internacional: Dois Garotos se Beijando, David Levithan (claro que essa lista é enorme, mas escolhi um que é emocionante e abarca muitas discussões legais).
Jovem adulto nacional: Volto Quando Puder, da Isa Prospero e da Márcia Oliveira (porque eu não canso de recomendar esse livro).

Maio
Infantil internacional: Lily e Dunkin, da Donna Gephart (o livro tem versão nacional lançada esse ano pela Novo Século, mas é difícil de encontrar!).
Infantil nacional: Meus dois pais, do Walcyr Carrasco (bem clássico também!).

Junho
Gay internacional: Aristóteles e Dante Descobrem Os Segredos do Universo, do Benjamin Alire (mais dicas é só olhar a maioria das resenhas que fiz aqui!).
Gay nacional: vou ser dessas que trapaceia (?) e indicar o meu mesmo: Você é Só Pra Mim.

Julho
Bi internacionalCut Both Ways, da Carrie Mesrobian (não li, tá na lista, mas resolvi indicar pra mais gente conhecer).
Bi nacional: Todos Nós Adorávamos Caubóis, da Carol Bensimon (e Volto Quando Puder também se encaixa aqui!) (e quem sabe até julho o meu "Aprendendo a Gostar de Mim" não esteja disponível na íntegra também, né? Por enquanto, tá aqui no wattpad de graça pra quem quiser acompanhar!).

Agosto
Trans internacional: Luna, da Julie Anne Peters.
Trans nacional: O menino que brincava de ser, Georgina da Costa Martins (não trata especificamente de trans, mas levanta questões sobre... e foi o único que me lembrei, alguém me indica mais?).

Setembro
Lésbico internacional: Annie on my Mind, da Nancy Garden (clássico dos clássicos, merece muito sua atenção!).
Lésbico nacional: Depois Daquele Beijo, da Rafaela Vieira (também difícil de encontrar porque parece que vem versão nova por aí!).

Outubro
Biografia internacional: Eu Te Amo, Phillip Morris, do Steve McVicker (tá, é uma biografia semi-ficcional, mas ela é maravilhosa e merece a indicação - e tem filme também).
Biografia nacional: Meu nome é Amanda, da Mandy Candy (youtuber com um livro bacana sobre aceitação e transformação).

Novembro
Graphic Novel internacional: Always Raining Here, da Bell e da Hazel, e vou indicar também a The Less Than Epic Adventures of TJ and Amal, da E.K. Weaver. Ambas ainda podem ser lidas no sites das respectivas autoras (ARH aqui, e TJ e Amal aqui), pois são webcomics que foram posteriormente impressas. Também vou indicar que leiam a Transfusions porque traduzo com muito carinho procês! <3
Graphic Novel nacional: Torta de Climão, do Kris Barz (porque sinceramente não conheço nenhuma graphic novel "propriamente dita" nacional com personagens LGBT, aceito dicas!).

Dezembro
Fantasia/Distopia/Terror internacional: Teeth, da Hannah Moskowitz; And I Darken, da Kiersten White; Além-mundos, do Scott Westerfeld (e vários outros, mas indico esses pra dar a oportunidade de conhecerem).
Fantasia/Distopia/Terror nacional: As cores, o tempo e nós, Beatriz D'Oliveira e Manu Veloso; O livro das coisas que nunca aconteceram, da Ana Luiza Savioli; Exorcismos, Amores e Uma Dose de Blues, do Eric Novello (foram os que lembrei na hora de escrever o post, mas aceito mais dicas!).

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...