Review - 31

2:27 PM Lorena Miyuki 0 Comentários

Resenha de um livro pouco conhecido, mas que vale a pena a leitura.



Título: 31
Autoras: Cacau Ideguchi e Maria Fernanda Nogueira
Idioma: português
Ano de Publicação e Editora: 2017, Chiado Editora

Duas almas eternamente ligadas vivendo em realidades paralelas e distintas missões. Não importa a idade, o sexo, as escolhas, os acertos e erros, elas estão conectadas e em algum momento haverá o tão almejado reencontro.

Esse livro foi uma enorme e feliz surpresa. Curtinho, porém promissor, ele narra através de diversos contos bem breves a história de duas pessoas, sem atrelá-las a um gênero ou sexo definido, cujas almas se entrelaçam em todas as suas vidas: Eduardo/Eduarda e Marcelo/Marcela. Todos os contos têm como personagem principal esses dois seres que ora aparecem no masculino, ora no feminino. E são diversas histórias diferentes, vidas diferentes e não-lineares, atemporais, mas que se entrelaçam.

Marcelo/Marcela é o único ser que parece ter consciência de que está destinado a amar uma única outra pessoa em todas as suas vidas: Eduardo/Eduarda. Ele/ela vive incessantemente buscando encontrar o/a outro/a. Porém, mesmo encontrando, Marcelo/Marcela está destinado/a a ficar longe, ser afastado, permanecer como espectador na vida de Eduardo/Eduarda... Marcelo/Marcela também sabe disso, sabe que sempre irá sofrer, mas parece algo mais forte que ele/ela, algo que o puxa em direção a Eduardo/Eduarda. Mesmo tentando ignorar esse "algo", a simples proximidade o/a faz se atrair à Eduarda/Eduardo.

Esse "algo" é um sentimento tão puro e simples, descrito como um amor dos mais inéditos e difíceis de se encontrar: o amor incondicional. Mesmo. A maneira como esse sentimento nos é passada, através do sofrimento de Marcelo/Marcela, é indescritivelmente bonita e, ao mesmo tempo, dolorosa. É a definição de amor mais simples e que não precisa ser sequer nomeada como tal.

Os contos são curtíssimos - há contos de dois parágrafos, outros de duas páginas -, mas todos são muito bem escritos e a ambientação, mesmo que com pouquíssimas palavras, é extraordinária! Fiquei pasma como as autoras conseguem passar tudo o que precisa ser passado mesmo com tão poucas informações. Confesso que eu comecei a leitura sem nem saber direito do que se tratava, só que eram contos, então me peguei um tanto confusa no início, mas logo aquele click aconteceu e eu fiquei muito surpresa (de um jeito bom)! Os contos são divididos em números de 1 a 31 - não há explicação para essa numeração, que é bem aleatória, mas eu acredito que sejam todas as vidas que essas duas almas passaram. Meus contos preferidos são os de número 6, 4, 20, 7, 2, 9, 12, 15 e, claro, o último, o 31.

As vidas dessas duas almas, mostradas através dos contos, são extremamente diversas, e isso me agradou muito também. Há contos clichês, como Eduardo e Marcelo serem melhores amigos desde a infância, há contos fantásticos e com universos paralelos, futuros alternativos em que você deposita sua memória em "cascas" (bem Black Mirror mesmo), há contos de guerra, de assassinos, de atores e de simples pessoas do dia-a-dia. A diversidade também aparece no gênero dessas duas almas, porque ora temos Marcelo e Eduarda, ora, Marcelo e Eduardo, ora Marcela e Eduarda, Marcela e Eduardo... Sabe? E em todas as vidas é legal ver como essas duas pessoas se amam e como Marcelo/Marcelo não questiona, por exemplo, o gênero que Eduardo/Eduarda toma: ele vai amá-lo/a mesmo assim, de qualquer forma, acima de todas as formas, na verdade. São duas vidas entrelaçadas que vivem as memórias de um relacionamento independente de suas sexualidades ou gêneros.

Escrevendo essa resenha, aliás, é que noto o quão importante seria termos, no português, um pronome neutro para que não precisemos colocar gênero em todas as coisas. Ele, ela... são coisas muito fechadas, limitadas. Nesses contos desse livro também senti que, se tivéssemos tal pronome, seria muito mais simples de se escrever porque não é o gênero que importa, no fim das contas. É o sentimento, é o que está por dentro. Sempre.

Agradeço às autoras por terem me apresentado a obra e me confiado um exemplar para análise! Desejo muito sucesso! Quem quiser saber mais sobre elas, visitem a página do Facebook do coletivo  de literatura alternativa "A Ponte". O livro pode ser adquirido no site da editora aqui em edição física e e-book.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...