Review - Moletom

11:10 AM Lorena Miyuki 0 Comentários

Um nacionalzinho pra variar!


Título: Moletom
Autor: Julio Azevedo
Ano de Publicação e Editora: 2017, Globo Alt.
Em 'Moletom', Julio Azevedo — o jovem autor da página de mesmo nome do Facebook — mostra, por meio de uma narrativa envolvente e ilustrações poéticas, que não adianta tentar fugir dos problemas: eles nos perseguem até que os encaremos de frente. Seu protagonista, Pedro, está fugindo de algo. Ele acaba de chegar em uma nova cidade, onde ficará hospedado na casa da tia por algum tempo, e essa mudança representa para ele um recomeço, um escape de algo que está causando uma grande angústia. Assim que chega a esse novo ambiente, no entanto, ele conhece Lucas, um garoto que despertará exatamente os sentimentos que ele estava tentando evitar.


Vou começar a resenha dizendo que eu não fazia ideia (e ainda não faço, verdade) de quem é o Julio (autor) e da página do facebook que é mencionada até na sinopse. Talvez para quem o acompanha há mais tempo a experiência de leitura será diferente, né? Também quero dizer que eu não sabia da existência desse livro até ver uma propaganda no Instagram - achei um pequeno-grande descaso a falta de divulgação. Como curiosa que fiquei, na primeira oportunidade que tive comprei o livro, que também foi dificílimo de achar.

POIS BEM. Fui com uma expectativa mediana, porque eu sabia que era um livro ilustrado e tinha achado bem bonitinho até, mas com uma cara infantilizada. Fiquei até com medo de ser só uma HQ ou coisa assim, mas tem texto e é classificado como romance, então mergulhei, né? Só que infelizmente esse livro não é nada do que se propõe - ou, na verdade, eu não sei nem qual a proposta. Como livro de poesias/poemas, ele falha. Como ilustrações, falha também; Como romance? Pior ainda. Ele não se encaixa em nada! Nada da sinopse, "narrativa envolvente e ilustrações poéticas", funcionou pra mim.

A história é de Pedro, o protagonista que está sim fugindo de algo, mas que a gente acaba nem descobrindo o que é. Ele se muda apressado para a casa da tia numa cidade que não é nomeada nem caracterizada, e ficamos a ver navios sobre a motivação. Poucas coisas são explícitas na trama, e isso não deveria ser um problema, mas fiquei extremamente confusa porque nenhuma resposta nos é dada. Nada. Nadinha. O início é muito bonitinho, as ilustrações são um charme sim, mas não complementam o enredo, que é falho e cheio de buracos esquisitos.

O livro é dividido em partes cujos narradores mudam - ora é o Pedro, ora é o Lucas, um cara que ele conhece aleatoriamente numa cafeteria num daqueles encontros "amor à primeira vista" que eu não compro de jeito nenhum. Fora que o personagem do Lucas é completamente incógnito, contraditório às vezes, e não me passou nenhuma credibilidade. O próprio Pedro, também, é muito inverossímil: "escritor", quadrinista, tomador de café compulsivo... Um retrato de personagens de filmes "alternativos" que a gente raramente consegue enxergar na vida real mesmo.

A ambientação da história em si é extremamente falha. Eu não conseguia me localizar! Os personagens entram e saem de cena sem que a gente saiba muito sobre eles - a tia de Pedro, sua prima, os amigos de Lucas, seu passado, seus pais, os pais do Pedro... tudo fica no ar! E as motivações do Lucas? Os conhecidos dele? Tudo bem que dá pra ter uma pequena noção das coisas, mas um pouco de contextualização ao leitor não custa, né? Abrir demais também tem seus problemas.

Eu sinceramente não sei se é uma história que "já foi contada" - no sentido de que os seguidores da página já sabiam porque ela foi ilustrada antes ou algo assim, mas, pelo que vi, muitas das passagens foram baseadas na própria vida do autor. E daí me pareceu que é uma história que só quem sabe, acompanhou de verdade, é que vai entender todas as entrelinhas. Senti que o livro não foi feito pra qualquer leitor, sabe? Isso me deixou extremamente chateada porque eu queria muito ter conhecido o Pedro e saber dos seus motivos e angústias de um outro ângulo que não no pensamento e nas dúvidas.

Enfim, fiquei triste. As ilustrações são uma gracinha, tem uma passagem ou outra muito bonita, mas parece tudo meio descontextualizado. Fora que é uma trama baseada num clichê que não foi bem explorado, o do amor à primeira vista, e sequer dá pra gente vibrar muito pelo próprio romance do livro porque ele acaba tão abruptamente que... nem dá pra entender direito. O título, "Moletom", só é meio explicado nas últimas páginas e de novo me deixou a sensação de que quem sabia da "história toda", saberiam o porquê do título antes. Afinal, é isso: eu acho que o livro não trouxe a história completa, e deixou lacunas injustificáveis. Parece uma daquelas coisas internas que só quem está no meio entende. Sabe?

E isso num livro publicado por uma editora grande e que é para todos os públicos não funciona.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...