Review - Alex Strangelove

11:47 AM Lorena Miyuki 0 Comentários


Faz muito tempo que não resenho um filme aqui, então vamos aproveitar o clima de junho de romance + LGBTQ pra falar dessa gracinha.


Diretor: Craig Johnson
Idioma: inglês (legendas disponíveis)
Gênero: comédia romântica
Sinopse: O jovem Alex está determinado a perder a virgindade com a namorada, mas tudo muda de figura quando ele conhece o igualmente adorável Elliot.

O filme foi lançado em 8 de Junho de 2018 na Netflix.

O filme é narrado por Alex Truelove - sim, esse é seu sobrenome -, um garoto de 17 anos no seu último ano do ensino médio americano. Alex conheceu Claire no primeiro ano e os dois se tornaram melhores amigos por compartilharem gostos em comum, o maior deles sendo pela ciência e biologia: eles têm um canal no Youtube onde gravam curiosidades sobre o reino animal associadas às fofocas da escola em que estudam. Claire e Alex são inteligentíssimos e estão ansioso para entrarem na faculdade.
Os dois são um casal muito "comprável" e vão à todas as festas juntos, como amigos, até que essa amizade se transforma em algo mais no decorrer dos anos.

No último ano do colegial os hormônios dos garotos parecem estar ainda mais em ebulição e, no meio de uma conversa, Claire deixa escapar aos amigos de Alex que eles nunca tiveram qualquer "momento íntimo". Alex não sabe nem explicar o motivo, já que sempre quando estão "quase lá", ele não consegue deixar o cérebro tranquilo.

Deixa eu dizer que o Alex pensa demais, em tudo, o tempo todo. Sua ansiedade é completamente explorada e isso me deixou muito feliz porque mostra exatamente como o garoto não consegue simplesmente se desligar. Mesmo nas coisas mais banais, mesmo nas horas mais impróprias... E é exatamente assim na vida real, convenhamos. Alex tem umas obsessões também que nos ajudam a entendê-lo, ou a confundi-lo ainda mais.

O grupo de amigos de Alex é muito diverso e responsável pela maioria das cenas cômicas do filme. Aliás, o filme inteiro é cheio de piadinhas e cenas MUITO boas para dar umas gargalhadas! Faz jus ao "comédia" do gênero e não é nada forçado. A cena da mangueira cantante! 

Além disso, diversidade também é o que não falta! Temos personagens asiáticos de destaque, indianos, mulheres fortes e adolescentes idiotas, que foi pra isso que a gente clicou em assistir, né? hehe

Alex conhece Elliot numa festa maluca e a empatia dos dois é muito visível. Elliot não é exatamente um personagem estereotipado, mas traz uma carga emocional um pouco mais densa para a trama por conta da sua história de vida: ao contar para o pai que é gay, ele foi expulso de casa e agora mora com a melhor amiga. Se ela não existisse, Elliot não teria para onde ir, o que infelizmente retrata a realidade cruel de muitos na mesma situação.

O filme dá espaço para discutir sexualidade de uma maneira engraçada, suave e ao mesmo tempo necessária. Uma maneira que os próprios adolescentes vão se sentir representados, eu acho. Quando Alex está descobrindo a existência de outras possibilidades que não a heterossexual, bissexualidade, pansexualidade, assexualidade... todas elas são, mesmo que rapidamente, apresentadas ao espectador. Também falam de questões de gênero, de não-binários, cross dressers, transformistas e etc. Tá certo que na maioria das vezes é no meio de uma piada do amigo de Alex, mas a lição que fica é: tudo bem se identificar com qualquer uma dessas coisas, ou com nenhuma, tanto faz! Você não precisa se encaixar! Você é você e pronto!

Inclusive a relação dos dois amigos é muito saudável e foi muito naturalmente enfatizada. Alex não tem medo de discutir com Dell sobre suas dúvidas em relação à sexualidade, e o amigo não tem problema algum com isso também. A cena do baile final é tão esperançosa! Mesmo o relacionamento do Alex e da Claire é muito bem repassado pra nós, espectadores, e nos faz sentir muita empatia por ambos! Alex ama a Claire, independente de ele não querer transar com ela, e isso ficou muito claro.

[INÍCIO de SPOILER]
Se não viu o filme, não leia se não quiser saber do enredo!
Eu só achei que poderiam ter explorado a questão da bissexualidade. Pra mim, Alex não é gay. E talvez ele vá descobrir isso mais tarde, mas ele se sentia sem sombra de dúvida atraído pela Claire, só a pressão do sexo é que o fez expandir os horizontes, digamos. E teria sido muito melhor se ele não tivesse escolhido um rótulo para si, mas infelizmente a gente não pode ter tudo nessa vida, né?
[FIM DO SPOILER]

Alex e Elliot
Acho que a Netflix acertou muito dessa vez: esse filme é tão cheio de amor, cria tanta esperança e ainda educa de uma maneira tão natural que arrisco a dizer que todo adolescente LGBTQ vai se sentir representado nem que seja um pouquinho. E é uma comédia que deu certo também: não é um "besteirol", nem tem muita cara de "sessão da tarde".

A trilha sonora é espetacular! As cenas finais mostram pessoas reais, vídeos do youtube de gente que se "assumiu", e é muito emocionante. Achei essa incorporação de uma delicadeza e necessidade indiscutíveis!

Prepara o lencinho para as lágrimas de felicidade e tristeza, porque elas provavelmente vão rolar!
Recomendo muitíssimo!

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...