Os Desafios da Escrita - O Processo Parte III

12:00 PM Lorena Miyuki 0 Comentários

Todos os bons escritores, mais dia ou menos dias, descobrem que o processo de escrita é algo mais do que uma atividade espontânea e misteriosa.

Escrever tem tudo a ver com esboçar, apagar, ler e reler. Não é a mera noção de colocar no papel aquilo que tá na sua cabeça.

E existem alguns passos que são necessários para criar um parágrafo, um artigo, um livro, uma carta, um roteiro, etc. Para a maioria dos projetos de escrita, nós vamos sempre utilizar cinco passos distintos e em ordem.

Nos posts anteriores, já falei sobre o Inventar  e Organizar.

Agora vamos falar de Rascunhar.

3) Rascunhar

Depois de explorar seus tópicos e organizar suas ideias, você está finalmente pronto para efetivamente rascunhar o que será a primeira versão do seu trabalho.

Muitos escritores terminam o seu processo de escrita nesse passo e o resultado sofre com isso. Rascunhar é um passo importante, mas não pode levar horas e horas até que se torne estressante. Esse acaba sendo um dos passos mais temidos por quem escreve justamente por se preocupar demais com coisas que podem ser feitas depois. Afinal, lembre-se: este não é o último passo do processo de escrita!

Com a preparação dos passos anteriores, o rascunho se torna muito menos demorado e estressante. Assim que entender os benefícios dos passos seguintes (revisão e edição), você se torna ainda mais confortável e confiante sobre o rascunho.

De qualquer maneira, para esse terceiro passo, o mais importante é fazer o que interessa e aproveitar o momento. Pegue sua linha de esboço organizada no passo anterior e simplesmente escreva. Não para para corrigir cada linha! Não pare para mudar de direção. Não corrija erros de digitação, só escreva como se fosse um guia ainda mais detalhado para você mesmo.

Através da folha de rascunho você começará a moldar sua escrita no que eventualmente vai se transformar na versão final do seu projeto. Portanto, se a sua tarefa é escrever um parágrafo, você deve rascunhar um parágrafo completo antes de seguir adiante no processo. Se a tarefa é escrever um romance, você deve completá-la antes de partir para os passos seguintes. Sem choradeira! E você precisa se lembrar (às vezes constantemente) de que este não é o último passo, então não precisa estar perfeito.

Idealmente, depois que seu rascunho estiver completo, você deve deixá-lo "descansar" por um dia ou dois - talvez mais, dependendo do tamanho da sua tarefa. Um artigo ou resenha, um dia é suficiente. Um conto, talvez uma semana. Um romance completo, um pouco mais.

Bons escritores (e escritores organizados!) conseguem "se gerir" para que tenham tempo de sobra para fazer isso, deixar o cérebro descansar e processar as informações que saíram dele. Alguns chama isso de "colocar de molho" ou "assar" a sua obra. Se você não tiver todo esse tempo, mesmo algumas horas entre os passos podem ajudá-lo a melhorar a escrita. O importante é não se abarrotar demais com suas próprias ideias!

Para ilustrar, o rascunho do A Hora da Estrela, da Clarice Linspector.

Bloqueio criativo, o que fazer?

Para te ajudar a se mover entre esses passos do processo de escrita, lembre-se de que seu rascunho não precisa estar perfeito. Os passos seguintes (4 e 5, revisão e edição) darão conta dos erros. Quanto mais você se libertar das amarras da ansiedade, ou das expectativas altas demais, para escrever, mais rascunhos você irá gerar, o que o ajudará a ser mais bem-sucedido nos passos seguintes e na própria vida de escritor.

Eu sei que é complicado falar em bloqueios, muita gente não consegue sequer olhar para o papel/editor sem dar um faniquito - eu mesma já passei por isso. Mas, acreditando ou não, no fundo a gente sabe o que funciona para nós mesmos, o que vai nos ajudar e impulsionar o ato, ou o que vai tirar a barreira do caminho. Comigo, por exemplo, eu gosto muito de pensar na música que estou ouvindo no momento como uma história. Às vezes eu até a escrevo mesmo, mas só para tirar a poeira dos dedos, sabe? Pra testar as palavras depois de um longo tempo só de molho ou de revisão.

Eu constantemente passo por "períodos de revisão", nos quais releio uma boa quantidade de obras que tenho (publicadas ou não) para 1º) revisar e 2º) tentar continuar aquelas que estão paradas. Isso normalmente me impede de escrever/produzir, pois fico muito atrelada ao processo e acabo empurrando novas ideias pra longe da cabeça. Então eu sei que o que tenho de fazer nessas horas é 1º) concluir mais rápido as coisas pendentes e 2º) escrever qualquer coisa. Depois eu volto ao que eu efetivamente tenho de fazer e/ou terminar. Escrever sem compromisso é muito libertador, acredite.

Uma tirinha sobre o bloqueio criativo, em inglês, e tudo o que você NÃO deve fazer!


Fonte: curso de escrita e gramática inglesa da Mt San Jacinto College.
Imagens: divulgação sem fins comerciais.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...