Os Desafios da Escrita - O Processo Parte IV

12:00 PM Lorena Miyuki 0 Comentários

Todos os bons escritores, mais dia ou menos dias, descobrem que o processo de escrita é algo mais do que uma atividade espontânea e misteriosa.

Escrever tem tudo a ver com esboçar, apagar, ler e reler. Não é a mera noção de colocar no papel aquilo que tá na sua cabeça.

E existem alguns passos que são necessários para criar um parágrafo, um artigo, um livro, uma carta, um roteiro, etc. Para a maioria dos projetos de escrita, nós vamos sempre utilizar cinco passos distintos e em ordem.

Nos posts anteriores, já falei sobre o Inventar, Organizar e Rascunhar.

Hoje vamos falar de Revisar.

4) Revisar

Assim que tiver terminado seu primeiro rascunho por completo, lembre-se de deixá-lo descansar por um tempo razoável (que varia de obra para obra, pessoa para pessoa, tamanho do texto, complexidade, etc.). Depois que se sentir mais tranquilo em relação ao que escreveu, sem morrer de vontade de voltar e mudar tudo - ou apagar tudo - você está pronto para revisar.

A palavra revisar significa mudar um texto e relê-lo, mas a raiz da palavra é visão, que quer dizer ver, enxergar. Portanto, nesse passo você tentará ver seu projeto de diferentes perspectivas. A maior parte dos escritores concorda que existe dois tipos de revisão: a macro e a micro.

Revisão Macro:
Macro significa grande, então revisão macro quer dizer que você vai considerar seu texto como um todo, numa grande escala. Algumas pessoas se referem a isso como "revisão global". Muitos autores dizem que ajuda a compartilhar seu trabalho nesse passo, deixar que outras pessoas ajudem você, dêem sua opinião numa espécie de "revisão colaborativa".

Existem muitos métodos diferentes para revisar um texto, mas aqui vão algumas ideias-chave e atividades que você deve considerar durante a revisão macro. Essas chaves são conhecidas pela sigla "QUEST" (em inglês) e que representa exatamente o que fazemos quando revisamos: embarcamos numa jornada em nosso próprio texto, mas com outros olhos, sob a pele de outras pessoas, como se fosse a primeira vez que o lemos.

Questione se você tem informações suficientes e se elas batem com o projeto;
Understand (entenda) o que está funcionando no texto e o que não está. Corte fora tudo o que não for essencial;
Explique a alguém para ver se você deixou passar alguma coisa e ver se a ideia ficou clara. Ter uma perspectiva diferente, apesar de ser assustador, pode lhe proporcionar um enriquecimento enorme nessa fase. Ler seu rascunho para alguém é uma ótima opção - em voz alta, por que não?!
Shift (altere) e mova informações se for necessário.
Títulos são evidentes, claros e combinam com o que você escreveu?

É sempre bom ser metódico e reler seu rascunho dezenas e dezenas de vezes, e anotar ou fazer alterações sempre que necessário. Se estiver trabalhando no computador, salve o rascunho num documento separado, assim você mantém o original, o primeiro, e vai alterando conforme sua necessidade. Isso ajuda até a compará-los depois de terminar a macro-revisão.

Revisão Micro:
Micro significa pequeno, então a revisão micro quer dizer que você olhará seus parágrafos numa escala menor, considerando suas sentenças e se elas se encaixam umas nas outras. Algumas pessoas chamam essa etapa de "revisão local". Durante o processo de micro-revisão, você precisará checar se suas sentenças possuem claridade, variedade e efetividade.

Claridade: as frases se comunicam claramente com o leitor? Existe algumas que precisam de informação adicional ou reestruturação para serem clara?
Variedade: frases na voz passiva, ativa, frases explanatórias, subjetivas, com números, datas - você se lembrou de usar todas elas? Ou pelo menos uma boa variedade delas?
Efetividade: as frases nos parágrafos trabalham juntas para criar uma mensagem clara e coesa ao leitor? Se não, você incluiu transições necessárias e apropriadas a cada uma delas?

Lembre-se mais uma vez: esse ainda não é o último passo do processo, então deixar algo passar é aceitável. É recomendável, entretanto, que ao final da revisão o seu rascunho já tenha tomado a forma que você imagina que será a obra completa.

Um manuscrito revisado.

Considerando o público e o propósito

Enquanto você revisa - e até mesmo antes,lá no começo, ao gerar as ideias, você precisa considerar quem lerá o que você está escrevendo e qual o propósito do seu projeto. Por exemplo, se você está escrevendo uma carta para um jornal, o público e o propósito serão bem diferentes do que se você estiver escrevendo um relatório para sua empresa, ou um romance fantástico. Portanto, para cada projeto de escrita, você deve gastar um tempo pensando sobre esses dois itens, organizando suas ideias com base nesses dois detalhes e considerando o que será melhor para o seu público e o seu propósito.

Se você não sabe exatamente qual é o seu público, a regra básica do "escreva o que você mesmo gostaria de ler" ainda é válida. Mas tome cuidado: lembre-se que (felizmente ou infelizmente!) só existe um de você no mundo. E que você não vai agradar todo mundo, às vezes nem você mesmo!




Fonte: curso de escrita e gramática inglesa da Mt San Jacinto College.
Imagens: divulgação sem fins comerciais.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...