Review - As cores, o tempo e nós

11:23 AM Lorena Miyuki 0 Comentários

E-book nacional com protagonistas femininas num romance bem picante.


Título: As cores, o tempo, e nós
Autor: Beatriz D'Oliveira e Manu Veloso
Idioma: português
Ano de Publicação e Editora: 2015, Lumus

Sinopse: Helena tem 17 anos, um namorado perfeito e um futuro muito bem-planejado pela frente. Rebecca tem uma família problemática, nenhum amigo e um dom que não consegue controlar — ela prevê o futuro. Quando as duas se esbarram na entrada do colégio, dois universos se misturam. Helena abre os olhos para o inexplicável, e Rebecca passa a ter vislumbres de um futuro que não é seu. Ou, pelo menos, não só seu. Um futuro cheio da presença de Helena. De início, esse encontro parece aleatório e até um pouco irritante. Mas quando Helena passa a povoar as visões de Rebecca, tudo muda. Rebecca odeia seu dom, mas ele fascina Helena. É insuportável tê-la por perto. É impossível mantê-la a distância. Por mais que Rebecca tente. Ou talvez ela não tente tanto assim.

Para começar essa resenha, quero dizer que esse livro é enorme. Em se tratando de um e-book nacional, acho que nunca li algo tão longo e denso - enquanto nos 30% eu já tinha passado uma vida lendo e não estava nem perto de acabar, ou sequer chegar na metade! Acho que posso compará-lo à A Private Gentleman nesse quesito, e isso é muito legal, mas, ao mesmo tempo, muito ruim. Já vou explicar...

O livro é escrito em terceira pessoa, através de um narrador que acompanha basicamente a vida de Rebecca, uma carioca ruiva (!!) que frequenta um colégio interno nos anos 60. O pano de fundo é maravilhoso, tinha tudo pra me agradar! Colégio interno, década de 60?! Porém, a parte do colégio é só o começo da trama, e descobri que a década não fez tanta diferença assim no enredo - o que é uma pena e foi algo muitíssimo desperdiçado, além de deixar o leitor confuso porque algumas atitudes das meninas são simplesmente incompatíveis com o momento histórico em que vivem...

Mas, bem, voltando... Rebecca é um ser problemático já a partir de seus pensamentos: ela acha que nada pode ser mudado, que não adianta nem tentar. Isso em partes porque ela tem um "dom" esquisito de ver o futuro das pessoas com quem tem contato, e ela começa a ver o futuro de Helena assim que as duas se esbarram no começo de um ano letivo. De primeira, Rebecca odeia Helena pelo simples fato de não conseguir parar de enxergá-la, mas esse detalhe faz com que a própria burguesinha filha de militares se aproxime da ruiva, e Rebecca conta pela primeira vez para alguém de fora da família sobre esse seu dom. E Helena fica curiosa, maravilhada, como qualquer um ficaria, eu acho.

Como eu fiquei ao ler a sinopse.

Esse e-book estava na minha lista de desejos há muito tempo. Eu esperava uma fantasia urbana, algo que desenvolvesse o dom da Rebecca... E infelizmente o que me foi entregue foi mais uma história erótica. Me decepcionei um bocado, viu? Mas não me levem a mal, tem sim muita coisa boa nesse livro, por exemplo:

A escrita é LINDA. Não sei como as duas autoras conseguiram, como fizeram, mas não dá pra diferenciar se uma parte foi escrita por uma e outra não, porque é tudo muito bem encaixado. As metáforas usadas são de encher os olhos (muitas vezes de lágrimas mesmo), são bem construídas e adorei a questão das cores! Elas são fundamentais, mas sinto que essa ideia só ficou nas entrelinhas - no começo não dá pra ter noção alguma do que são os títulos das seções, ou as menções ao "preto e branco" e ao "colorido". É algo tão sutil que chega a passar despercebido, e que poderia ter sido melhor explorado no início.

Mas a escrita é muito poética. Muito. Às vezes exageradamente. E há diversas passagens que são extremamente desnecessárias e repetitivas. Como comentei no começo da resenha, nos 30% eu já achava que tinha lido/visto tudo que era pra ler/ver, e talvez tenha sido isso mesmo. A trama continua, obviamente, mas algumas passagens se tornam deveras repetitivas... Principalmente a relação sexual das meninas.

Um ponto que eu achei super negativo, mas que talvez eu não tenha dado a devida atenção ao reparar que o livro é classificado como "erótico": a apelação sexual é muito forçada e não me agradou na maior parte das vezes. No começo, tudo bem - como leitor, você fica na expectativa da tensão entre as meninas se dissipar, finalmente, sim. Mas depois de um tempo cansava ler as mesmas cenas de sexo bastante inverossímeis. Fora que praticamente tudo era um convite para as duas meninas transarem: uma palavra, um pensamento, até o maldito sol é um pretexto pra elas se engalfinharem! Nossa, me dava vontade de largar tudo! Pulei várias cenas desse tipo porque não acrescentavam em nada. Talvez por isso a história tenha sido tão longa, porque metade deve ser de conteúdo sexual explícito.

Por outro lado, os personagens são muito bem construídos. Como passamos anos seguindo suas vidas de longe - e acho que a narração contribuiu muito para que isso tenha sido passado da forma que foi - é como se estivéssemos vendo várias histórias se entrelaçarem. A família da Rebecca e da Helena têm participação fundamental e nos momentos certos; as colegas de classe das duas, em especial a Antônia (que é uma personagem maravilhosa!), têm suas participações encaixadas nas situações certas, as menções certas. O personagem do Alexandre, o namorado da Helena, também é o que se espera de um "antagonista que não sabe de seu papel no enredo"... Enfim, tudo certinho.

A trama traz momentos importantes da história brasileira, como o Golpe de 64, mas que afetam pouco a vida das protagonistas (e eu fiquei muito triste por não terem sido melhor explorados). Como já mencionei, também achei que várias partes eram inverossímeis devido ao contexto (a independência delas, principalmente sexual, a maneira de se vestirem, seus próprios pensamentos...) - tudo bem que elas podem ser "revolucionárias" para a época e tal, e a Rebecca me representa em várias maneiras de ser sim por esse motivo, mas acho que isso deveria ter sido exposto em algum momento, para ficar mais coerente.

Também achei que a história ficou sem desfecho: a "questão principal" da trama foi deixada de lado e, em vez de algo interessante e fora do padrão, por causa da ideia do "dom" da Rebecca, o livro infelizmente acabou se tornando um romance açucarado no fim. Ficou cansativo ler sobre as duas em certo ponto; às vezes há drama demais, às vezes reflexões demais.

É uma história muito bonita, porém, as reviravoltas são críveis e bem postas no texto por meio de uma escrita invejável, com uma ótima revisão, uma preparação de e-book exemplar - foi um deleite ler isso no kindle e ver todas as separações dos capítulos direitinho no índice, todas as seções bem delimitadas! Algo que muita gente tá precisando aprender: que e-book não é só colocar o texto lá e pronto. A preparação é fundamental para agradar a leitura! Fora essa capa linda amorzinho e que tem tudo a ver com a trama?! Adorei!

Em suma, fala sobre amor de uma forma bastante real e crua, porém o ritmo é lento, a apelação sexual me desanimou e fiquei sem saber mais sobre o que originalmente me atraiu na obra... Esperava (de)mais e fiquei frustrada por isso.

0 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...