Review - Teia de Vidro

10:45 AM Lorena Miyuki 2 Comentários

Vem conhecer essa feliz descoberta na Amazon!


Título: Teia de Vidro
Autor: Aurélio Nery
Ano de Publicação e Editora: 2017, independente (Amazon)
A Terra não é mais o nosso lar.
Após um vírus de computador maligno dominar o planeta azul, os seres humanos encontraram abrigo em uma colônia espacial conhecida como Arranha-Céu. Hunter, um cadete de 17 anos do Núcleo — o coração da colônia —, faz parte da nova geração de sobreviventes da Dominação. Sua vida segue pacata até a chegada de Ícaro, um rapaz arrogante e abusivo que tem mais defeitos escondidos do que qualidades à mostra, além de uma ligação inexplicável com o vírus que reina na Terra. Aos poucos, a convivência com o recém-chegado transforma Hunter em alguém menos estável do que de costume, interferindo em sua relação com seus amigos e familiares. Um romance entre ambos é inevitável, mas até que ponto duas pessoas podem ficar juntas quando uma delas guarda tantos segredos e a outra está prestes a ser condenada?

"Teia de Vidro" também foi vencedor do prêmio Wattys no Wattpad, onde tem versão de degustação pra quem quer conhecer a história antes de comprá-la.

Acompanhamos, em primeira pessoa, a vida de Hunter, que é descrito como comedido e certinho no começo, mas cujas atitudes mudam bruscamente quando ele conhece Ícaro, um cara de aparência extremamente jovem e que burla todas as regras ao ter duas posições privilegiadíssimas dentro da torre em que estudam: a de professor e de Destruidor, uma espécie de peça chave para que o vírus que devastou a Terra possa ser extinto.

A sinopse conta basicamente isso, né? Então comecei a leitura sem qualquer expectativa. A única coisa que eu sabia era que tinha sci-fi no meio de romance gay. O encontro dos dois é literalmente nas duas primeiras páginas, então o enredo inteiro vai se desenvolver na aproximação (ou não) de Ícaro e Hunter, e no mistério que envolve esse último, mas também na curiosidade inesperada de Hunter na chegada desse cara. E a maneira como o mistério é construído é muito interessante porque te deixa preso, sabe? Eu li metade do livro numa sentada porque queria saber o que tava acontecendo de uma vez... E pontos pro Aurélio: ele conseguiu manter a expectativa da experiência lá em cima, sem perder o pique, porque as poucas respostas só vêm no final da trama, então você é basicamente obrigado a ler o livro todo pra saber alguma coisa.

A ambientação de modo geral, porém, é bem falha. Não dá pra entender, por exemplo, como que chove na colônia. Como tem metrô, cidades, a torre em si, como funciona essa história de cadetes, Dominação, o vírus é mal explicado... Quando se escreve fantasia de modo geral, é indispensável que a gente seja ambientado no livro, no tempo e espaço mesmo, e algumas coisas não se encaixam nem  no tempo, nem no espaço (quase que literalmente). Muita coisa passou batida nesse sentido e eu não sei se foi de propósito ou não, porque infelizmente esse é só o primeiro livro e eu não sabia. Só soube depois que já tinha lido e fiquei chateada porque odeio pegar livros sem continuação já feita/publicada, minha ansiedade não deixa MAS isso é problema meu, eu sei.

Por outro lado, há diversos detalhes que poderiam ser cortados sem afetar a trama em si, e seriam substituídos por alguma explicação dessas coisas que faltaram. Toda hora aparecem comentários meio bobinhos de coisas "passadas", que na real são do nosso tempo atual (já que a história se passa no futuro), como menções a filmes e comportamentos que não se encaixam muito na história - o maior exemplo é o parágrafo sobre "Hoje Eu Quero Voltar Sozinho" que é completamente avulso do texto. Inserir essas menções na história é sempre muito legal, mas tem que ser feito de forma sutil e que case com as cenas descritas na hora, o que não aconteceu na maioria das vezes aqui.

Os personagens são legais e até certo ponto verossímeis, alguns mais bem construídos que outros - e um adendo: o Hunter, infelizmente, é o que menos foi aprofundado, não sei se por causa da primeira pessoa, algumas coisas sobre ele passam batido, e outras parecem não se encaixar de forma geral (a coisa toda do teatro, por exemplo, me pareceu muito forçada/fora da realidade deles). Além do Ícaro, que é uma incógnita instigante e sensual (se é que posso dizer isso assim), somos apresentados ao Alejandro, peça chave na história toda, e ao Caio, seu companheiro de quarto. Os dois são muito visíveis e mais empáticos que o próprio protagonista, inclusive arrisco dizer que o Caio é o melhor personagem do livro todo por inúmeros motivos. Fiquei incomodada, porém, com os estereótipos incutidos no Alejandro, por exemplo. Acho que poderiam muito bem ser evitados, e em certo momento me passou a impressão de que uma parte dele, da construção do personagem mesmo, foi alterada só para que ficasse mais "inclusivo" e diversificado, sabe? (spoiler pra quem leu: Alma).

Os outros coadjuvantes sei que têm papéis importantes no enredo como um todo, mas, como esse é só o primeiro livro, muitas perguntas ficam sem respostas, e eles são deixados de lado em certos momentos.

Também não gostei de como os personagens foram nomeados, nem a pseudo-explicação para tal, e acho que isso pode ser muito melhorado.

O livro tem uma boa (não perfeita) revisão, a capa é bem no estilo da trama (apesar de que eu preferia a capa antiga, da versão do wattpad), falta um tico de ajuste aqui e ali pra ter um texto mais fluido. O começo é meio aos trancos e barrancos, sabe? Parece artificial o jeito como o Hunter narra, mas depois de um tempo acho que o próprio autor se acostumou ao personagem e as coisas ficam mais naturais. Como falta muita explicação para muita coisa, só nos resta esperar pra ver se o segundo volume vai tratá-las como se deve, infelizmente. Acho que essa informação, inclusive, de que não é livro único, deveria vir na sinopse, porque não está especificado.

No mais, foi uma surpresa boa encontrar uma história prazerosa, que não foca exatamente no romance entre Ícaro e Hunter (porque isso é o menos importante na história como um todo, eu acho), e que traz uma distopia nacional bem empolgante de se ler.

2 comentários:

  1. Obrigado pelas considerações, Lorena <3 Fico muito grato pelas dicas (as quais trabalharei nos próximos volumes) e pelo seu feedback, e também fico feliz por você ter gostado. Grande beijo :*

    ResponderExcluir
  2. Olá Lorena! Boa Tarde!
    Aqui é o Erik Gabriel, revisor da trama.
    Primeiramente, agradecemos imensamente o seu comentário sobre nossa história, é sempre muito bom saber que mais alguém conseguiu entender a ideia da história como queremos passar e que tenha percebido os detalhes mais simples que deixamos no texto.
    Segundo: concordo com você com grande parte dos comentários sobre a mudança e obrigado por compartilhar das mesmas visões que eu (revisor falando não resolve) com o Aurélio.
    Agradeço pela boa, mas não perfeita revisão. Sempre há coisas que ficam mas prometo me esforçar para que isso diminui nos próximos volumes.
    Algumas coisas que comentou serão mais bem explanadas na continuação.
    Esperamos que goste da continuação como gostou do início!
    Um abraço de urso para você!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...