Review - Jongens

12:20 PM Lorena Miyuki 10 Comentários
























Diretor: Mischa Kamp
Idioma: holandês
Gênero: drama coming-of-age

Sinopse: sob o título de "GAROTOS" (literalmente) o filme conta a história de Sieger, um esportista introvertido e quieto de 15 anos de idade que descobre o amor durante as férias de verão. Sieger está treinando em seu novo time de corrida para um campeonato nacional quando conhece um garoto intrigante e imprevisível chamado Marc. A amizade que se desenvolve entre os dois parece ser comum, mas Sieger se vê desenvolvendo sentimentos fortes por Marc e se pune por isso, mas fica ainda pior quando descobre que os sentimentos são mútuos e Marc também parece apaixonado por ele.
O filme é de 2014.

Vamos falar desse filme fofo que eu vi não menos que três vezes nas última semanas. Cheguei a ele através da sua página do facebook que curiosamente vem atraindo muitos brasileiros - e, curiosidade, o único release disponível por aí do filme tem legendas em português! Isso pois todo mundo que viu veio comparando a delicadeza de "Jongens" com nosso queridinho nacional Hoje Eu Quero Voltar Sozinho e confesso que foi isso que me atraiu (as comparações), mas é preciso separar bem os dois filmes, já que eles estão em categorias diferentes e tem histórias completamente diferentes.

Como a própria sinopse já diz tudo, acompanhamos Sieger começando seus treinos na nova equipe que ele consegue uma vaga para praticar atletismo. Sieger é esportista, um corredor com talento natural e de família - seu irmão praticava os mesmos esportes quando pequeno, mas teve de parar para arranjar um emprego e ajudar nas despesas da casa depois da morte da mãe. Sieger tem a companhia de seu melhor amigo de infância, Stef, que também passa a integrar a equipe de quatro corredores principais que participarão de um campeonato nacional de revezamento 4x4. Daí pra frente nós acompanhamos a rotina de Sieger e os outros três garotos - Stef, Marc e Tom - nos treinamentos e como a amizade deles vai crescendo com a convivência.

O filme é muito fofo, tem uma fotografia linda! Traz aquele ar de anos 90 muito nostálgico e melódico. Diálogos não são seu forte, pelo menos não entre os meninos, mas a atuação de cada um deles, as expressões deles dizem mais que mil palavras. São todos ótimos atores, devo aplaudir de pé! Fiquei apaixonada pelas cenas no "lago" (a do poster ali em cima), o clima que é desenvolvido nos treinos, as viagens intermunicipais para as competições... Enfim. Achei tudo muito próximo da realidade e ao mesmo tempo muito mágico.
Cena de promoção do filme. Sieger e Marc.

A trama é cheia de pequenas nuances abertas, como o a ideia de Stef de conseguir uma namorada e o subsequente relacionamento dele com o aparente único grupo de garotas da região. A relação da família de Sieger com tudo - seu irmão Ed é problemático e causa muita dor de cabeça, o típico bad boy da cidadezinha, mas todos tem sempre um "porém" da vida que os deixou assim. A família de Sieger é um drama a parte emocionante, que nos faz pensar em seu pai a todo momento. E também temos a família de Marc com sua mãe maluquinha e sua irmã fofa, que não dá um pio no filme mas deixa todo mundo com aquela cara de bobo! (Aliás, mentira, ela fala "peek-a-boo" haha!). Marc, aliás, é um personagem certo, que se encaixa nas situações certas, fala a coisa certa e não parece duvidar de si mesmo. O príncipe encantado, acho que posso caracterizá-lo dessa maneira!

O que mais me fez gostar do filme, entretanto, não foram os atores ou a atuação ou a fotografia, foi mesmo a ideia de que eles não precisaram passar por questionamentos, dramas nem conflitos irreais, nem perturbações para construir um relacionamento. Quero dizer, Marc é bastante seguro de si e ele carrega toda essa segurança para todo mundo ao seu redor, inclusive a Sieger, cuja auto-estima é meio desgastada. Sieger sofre pensando em Marc, sim, mas mais com medo do que os outros vão pensar dele (o irmão e Stef, principalmente) do que sobre seus próprios sentimentos. Ele sabe o que quer também, desde a primeira cena nós podemos perceber isso, mas seus conflitos são motivados por fatores externos, o que é basicamente a mesma coisa que acontece aqui fora, né? Eddy é importante para Sieger, logo ele não quer decepcioná-lo e não quer abalar ainda mais as estruturas em casa, com o pai fragilizado. Fiquei imaginando a cabeça do Sieger trabalhando em todas as cenas em que não há diálogo, que ele está sentando no escuro,  ou chorando. "Por que vou dar mais sofrimento ao meu pai se meu irmão já age desse jeito? Não quero ser mais uma decepção!", num modo bem altruísta de ser, que se encaixa perfeitamente no personagem.

A partir do momento em que ele percebe que isso não vai afetá-los tanto assim - ou, se vai, todos vão conseguir superar no fim das contas, como já superaram coisas piores (como a morte da mãe) - Sieger sabe o que fazer. E Marc parece entender perfeitamente todas esses pequenos conflitos de Sieger, já que hora nenhuma ele o questiona - pelo contrário: ele está lá para apoiá-lo e não desiste, nem quando Siege faz um monte de besteira e o magoa tanto.

O final é muito aberto e deixa aquele gostinho de quero-mais irresistível. Nesse sentido, podemos sim compará-lo à Hoje Eu Quero Voltar Sozinho, que não fecha as tramas dos pais, dos amigos do colégio, das pessoas ao seu redor. O final é imaginativo - ficamos satisfeitos com a cena, mas cheios de perguntas na cabeça: tá, mas e agora? Como será? Será que tudo ficou bem, assim mesmo? Não deixei de me questionar, mas isso não estragou o brilhantismo da cena de fechamento que casa com a música tema do filme.



Pelo que eu entendi, o filme ainda não foi lançado comercialmente. Foi uma produção independente, assim como HEQVS, e temos que admitir que ficou magnificamente bem-feito. Ele está circulando em exibições independentes e festivais em vários países e a data de lançamento oficial na Holanda foi do dia 09/02 desse ano. Quem sabe ele não chega por aqui, heim? Está tendo uma recepção tão boa dos brasileiros que não custa sonhar!

A trilha sonora é bem pequena, mas absolutamente linda! Confesso que não paro de escutar Moss desde o dia que vi. Segue o trailer com a música principal e vale muito a pena assistir! Recomendadíssimo! Estou apaixonada!

EDITADO: Pra quem não conseguiu achar até agora, o nome da música é "I Apologise (Dear Simon)", do Moss, ok? :)


10 comentários:

  1. O filme é apaixonante mesmo, não resisti e assisti duas vezes

    ResponderExcluir
  2. É um filme muuuito lindo, cara. Simples, com várias cenas que não precisam de diálogo nenhum, uma boa história em si e porrãn, dá pra sentir a conexão que os personagens criam! Amei demais e já vou assistir pela 4ª vez! haha

    ResponderExcluir
  3. Bom não curto muito isso, mais devo admitir que o filme é muito melhor que esses contos de fada em que a princesa sempre esta a procura de um principe, continue assim.

    ResponderExcluir
  4. Achei o filme lindíssimo. Foi muito suave a maneira como foi mostrada o desenvolvimento do relacionamento dos personagens principais. Sem apelação, nem nada. Mas as cenas românticas são simplesmente incríveis. Enquanto eu via o filme, me peguei sorrindo em vários momentos. Enfim, fofo, muito fofo!

    ResponderExcluir
  5. queria saber o nome da musica e da banda/cantor que toca no começo e no fim do filme, já procurei e não consegui achar :((

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Guilherme, o nome da música é "I Apologise (Dear Simon)", do Moss. Tem nos créditos do filme e também nos comentários do trailer do youtube ;)

      De qualquer forma, adicionei a informação no post pra quem quiser ver!

      Excluir
  6. O marc é um verdadeiro boy magia.
    Eu assisti legendado e amei o filme. A trilha sonora é só amor. Estava tentando baixar justamente essa música, mas não estava achando.

    Concordo com você em tudo, só não acho que o final de HEQVS seja aberto. Uma das grandes questões abordadas no tema GLBT é justamente o preconceito e no final eles dão a entender que estão dispostos a enfrentar o preconceito e não ligam para a opinião da "crítica". Em compensação, o final de Jongens com certeza ficou muto aberto nessas questões que você apontou. Precisa de um 2 pra ontem.

    ResponderExcluir
  7. eu queria saber o nome da musica que toca no park

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acredito que esteja falando do acampamento, que o Marc canta. O nome é You are my sunshine, e é uma música meio folk, então tem várias versões diferentes.
      Eu escuto um cover do Patrick Dunsereau. Vê no YouTube :)

      Excluir
  8. O filme é incrível. Amei demais "I Apologise", mas a que me marcou foi "you are my sunshine" que o Marc canta e toca (pro Sieger) no acampamento.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...