Dia (Inter)Nacional do Yaoi

7:30 AM Lorena Miyuki 2 Comentários


Num dia de comum acordo com a comunidade (?), a página do blyme surgiu com a ideia do Dia Nacional do Yaoi, que seria basicamente um dia em que falaríamos sobre o assunto, repostaríamos coisas e divulgaríamos o trabalho alheio. Esse é o segundo deste ano, o primeiro tendo acontecido em janeiro e do qual eu participei "por trás dos panos", já que não fiz nada de extravagante.

Mas agora resolvi contribuir de maneira mais ativa, digamos.

ATENÇÃO: ESSE POST FICOU GIGANTESCO! Se não tiver paciência pra ler tudo, dá uma rolada até o fim pra ver pelo menos as minhas indicações, tá? ;)

O que diabos é Yaoi?!

Acho que esse é um tema recorrente por aqui e pela minha cabecinha também, sabe, porque em tudo quanto é lugar leio coisas que me dão nos nervos. Na maioria das vezes essas coisas aparecem nas famigeradas comunidades do facebook que estou, não sei exatamente o motivo, ainda participando. Já fiz um post inteiro dedicado ao assunto aqui, mas como ele é antigo, as pessoas tem mania de achar que o conceito mudou. Não, gente, ele continua sendo a mesma coisa! Yaoi (ainda) é um gênero de publicação que tem o foco em relações homossexuais entre homens e tem geralmente, mas não exclusivamente, o público feminino como alvo.  Yaoi não é um termo comum na cultura japonesa. O nome atual do gênero no Japão é chamado 'BL' ou 'Boy's Love', que é uma extensão do Shoujo. Ou seja, recapitulando em claro e bom português: yaoi é um GÊNERO LITERÁRIO! Intrinsecamente de quadrinhos, sim, mas no ocidente a gente costuma "apelidar" as obras com o mesmo tipo de conteúdo (homossexual) de "yaoi" - erroneamente, não sei, já que temos outras denominações "ocidentais" para o termo. Falei sobre isso aqui, no meu artigo sobre young adult. Existe um subgênero do ramo que é caracterizado como gay male teen fiction, que é basicamente o que chamamos de "yaoi" por aqui: livros, contos, coletâneas e etc com conteúdo homossexual e normalmente destinado a adolescentes (do gênero feminino em sua maioria, mas não exclusivamente).

Tá. Ficção Gay para Jovens.

Exatamente. Vamos trabalhar com esse conceito então, certo? Nada de perguntar "quem aqui é yaoi?!"

Yaoi... Nacional?

Então como agora todo mundo já sabe, yaoi é um termo mais usado no ocidente. Eu particularmente prefiro a denominação de "boy's love", ou simplesmente BL. Ele abarca muito mais coisa que o "yaoi" dito por aqui. Como é uma nomenclatura ocidentalizada, não é estranho abraçarmos o termo e "nacionalizá-lo", já que estamos no ocidente infelizmente, eu acho.

Assim surgiram publicações nacionais que se denominam de cunho yaoi, ou destinada primeiramente a garotas que gostam de ler romances entre rapazes. Essa coisa de "destinado a garotas", porém, ficou muito defasada com o tempo. Hoje em dia, na minha opinião, não podemos excluir outros públicos. Selecionar público-alvo e categorizar publicação é sim excluir, como também já discuti num artigo sobre classificação e gêneros literários. É melhor pensarmos fora da caixa e então ampliar a ideia: o yaoi nacional a meu ver só tem como característica predominante o relacionamento (muitas vezes amoroso, mas, de novo, não exclusivamente amoroso) entre garotos/homens/seres do gênero masculino.

E nesse sentido nós tivemos grandes surpresas nesse ano de 2014, grandes publicações e a esperança de uma abertura de mercado nunca vista antes. Não estou exagerando! Pensem comigo: nos últimos 10 anos, quantos títulos explicitamente indicados como YAOI vocês viram por aí, nas bancas, nas livrarias? Conto numa mão só, né? E quantos deles foram publicados entre 2013 e 2014? Estou falando de quadrinhos sim, num primeiro momento.

Agora, mais uma vez, quantos desses quadrinhos são nacionais? A conta é relativamente fácil de fazer.

Vamos partir pro meu lado favorito da coisa então, e sobre o qual vou focar nesse resto de postagem: a literatura de romance, não de quadrinhos. A conta fica ainda mais fácil e mais evidente: 2014 está sendo o ano de maiores publicações ditas "voltadas ao público LGBT" até então.

O mercado editorial para obras de cunho "boy's love"

Saiu na mídia, foi noticiado, o marketing das editoras anda gastando tempo e dinheiro com isso. O Brasil está finalmente abrindo a cabeça! Ao contrário, porém, do que andam dizendo pra justificar o nosso "atraso", não acho que ninguém nunca tenha escrito sobre o assunto, nem se interessado, a gente só ficava debaixo do tapete, escondido. As coisas estão mais fáceis agora, com a intolerância sendo criminalizada.

Outro ponto forte foi a popularização das fanfics. Há um artigo circulando por aí sobre o gênero, que hoje é considerado um dos maiores subprodutos culturais da internet... E adivinhem qual o gênero literário de maior predominância nas fanfics? Basta ver o tamanho e a proporção que o nyah! tomou depois de tantos anos lutando pra sobreviver. Só que quem escreve fanfic um dia ou acaba encontrando a própria voz ou desistindo e se afundando nos personagens dos outros - nada contra, viu, gente? Eu até leio de vez em quando, mas não há melhor prazer do que poder criar e tratar dos seus próprios personagens do jeito que você quiser!

Além disso, existem editoras NACIONAIS especializadas nesse gênero literário de "meninos com meninos" e que não estão interessadas em histórias de fãs. Existem autores consagrados no ramo e já conhecidos entre os brasileiros - quem hoje nunca ouviu falar do David?? É, o Levithan mesmo! E o volume de publicações em língua portuguesa aumentou consideravelmente.

Publicações no mercado nacional com temática homossexual. Fonte: O Globo

Literatura Brasileira

Vamos lá, recapitulando: obras nacionais são feitas por autores nacionais, brasileiros. Obras "boy's love" nacionais tem, além disso, relacionamentos gays (masculino) como ponto principal da trama (ou um dos).

Uma característica curiosa do BL nacional é que a maioria, assim como o próprio BL japonês, é feita/escrita por mulheres. Sim, meninas que escrevem sobre meninos - e escrevem bem! Mas vamos divagar um pouquinho sobre isso?

Existe uma diferença que não vou saber dizer se é característica geral dos leitores, mas pelo menos o que eu observo é que as mulheres tendem a romantizar tudo o que escrevem. Sabe? Por isso a maioria das obras nacionais tem um cunho dramático e romântico, quase leviano, o que por consequência atrai outras garotas na leitura - e um público que gosta de floreios na escrita, algo que fuja um pouquinho da realidade, que acaba sendo boa parte dos leitores. Homens (escritores) tendem a ser mais objetivos, mais diretos, o conteúdo das obras é menos derretido, o que consequentemente atrai leitores do gênero masculino (em sua maioria adultos).

Sim, estou generalizando, mesmo porque eu mesma consigo fazer as duas coisas - ser romântica e ser objetiva, às vezes até na mesma obra. Por isso reafirmo o que disse lá em cima, e o que também é uma característica nossa, brasileira: as obras nacionais não são exclusivamente voltadas para um público específico. Não são só para mulheres que gostam de romance gay, não são só para adolescentes que querem se identificar, não são só para homens que gostam de literatura "picante". São para todo mundo.

Todo mundo tem o direito de ler o que quiser, não tem? Eu acho que sim.

Mas o que eu quero dizer com isso tudo é que: estou EXTREMAMENTE contente com a quantidade de livros, romances, contos, publicações do gênero no país! Tive o prazer de conhecer muitos autores com meus contatos por aqui, li muita coisa que anos atrás eu não imaginava que teria acesso assim, não fácil! Consigo encontrar livros do gênero tanto na livraria da esquina, quanto na maior rede de livrarias online. O que ainda peca é o preço, e as condições em que essas obras chegam às nossas mãos - muitas vezes pelo árduo esforço do próprio autor em se divulgar (oi!). Mas estamos caminhando para a frente e não podemos parar agora.

O Conjunto da(s) Obra(s)

Não queria pecar, mas vou ter que incluir essa lista aqui. "Pecar" porque não quero excluir ninguém, mas não tenho nem um conhecimento tão amplo de quantas e quais são as pessoas que escrevem/publicam obras do gênero, nem tive acesso a essas informações. Sou só mais uma escritora "do ramo" e o que eu conheço é pelas minhas próprias pesquisas e leituras.


Então vamos lá: obras nacionais de cunho intrinsecamente boy's love (ou yaoi, se você preferir).

Editoras para se ficar de olho:

Obras clássicas e antigas da casa:
All Star Azul, do Ricardo Mesquita.
O Terceiro Travesseiro, do Nelson Luiz.
Nenhum dos dois é leitura recomendada para menores de idade, ok? All Star Azul foi um dos primeiros nacionais que tive o prazer de acompanhar o desenvolvimento, ainda na época do orkut, e que pouca gente conhece. Tentarei fazer uma resenha em breve apesar de não ter o livro impresso!

Não Existe Amor Errado, do professor Aharom, relativamente nova.
Apartamento 41, também do Nelson.

Livros do Moa Sipriano são mais que clássicos.
Vá ao site do autor para baixar todos eles, de graça.
Não recomendável a menores de idade, entretanto.
Os novatos de destaque:
A coletânea da Draco, cheia de autores e histórias fantásticas.
Já fiz resenha aqui, inclusive, pra quem quiser saber mais detalhes.
Os volumes da coletânea "A Fantástica Literatura Queer", da Tarja Editorial
(que infelizmente não existe mais, mas vale a lembrança!)
Dezenas de histórias focadas no relacionamento "fora da caixa".
Lembrando que no volume verde tem conto meu
e no laranja tem um da Ky, minha companheira de Lavanderia ♥

Resenha aqui.
Eles ainda podem ser adquiridos através do site da editora
ou pelo facebook da mesma por um preço especial.

Pele, da Kyran.
Mais informações visitem a página exclusiva, por favor.



A Lenda de Fausto, da Samila Lages. O Lorde da Torre, da Grazie Ferraz. Traços, da Josiane Veiga, além da trilogia Jishu da mesma autora e de outras obras. A Aposta, da N. Ramiro.
Graham – O Continente Lemúria, do pseudônimo A.Wood, lançamento em breve.
Estou super curiosa para lê-lo, então vou incluir na listinha! Dêem uma olhada na fanpage do livro e no twitter também!

Águas Turvas, romance do escritor Helder Caldeira
que inclusive já figurou a lista dos mais vendidos nacionais!
Questões de Sexualidade nas Histórias em Quadrinhos é uma coletânea de
artigos, teses e estudos sobre, bom, a sexualidade nos quadrinhos e obras literárias.
Recomendo muito pra quem gosta de estudar o tema.
Coletânea Loveless da Editora Escândalo, Bem-Te-Vi da Marli Porto. North Bound, do Natan que já fiz resenha aqui.


A maioria pode ser encontrada no site da Amazon ou no do próprio autor, no caso das edições físicas. A publicação digital, porém, tem sido uma grande porta aberta para todos nós, então dêem uma chance aos e-books! Eles são feitos com o mesmo carinho que um livro físico!

Ufa. Foi uma listinha grande e trabalhosa, viu? Claro que temos outros nomes e títulos pra incluir, mas acho que prefiro fazer outro post a esticar esse mais ainda!

Para finalizar com chave de ouro (oeoeoe), vou incluir as minhas próprias obras na lista. "Mas não é justo, Lorena!", ah, claro que é! Eu também batalho muito pra ter elas ali, na vitrine, sabia?? Então um pouquinho de divulgação não faz mal a ninguém!

Lorena Miyuki, muito prazer.

Sim, pra quem ainda não sabe, sou escritora de yaoi, boy's love, ficção gay/homossexual masculina (e às vezes feminina), queer, o nome que você quiser dar!

Costumo dizer que escrevo desde sempre, o que é verdade, mas comecei a publicar somente em 2008 com a ajuda da Lavanderia, o lugar em que conheci muita gente que adoro e que me criou oportunidades imensas. Se você também gosta de escrever - ou só de ler mesmo, não tem problema!- nos faça uma visita! Pare por cinco minutinhos, leiam um conto curtinho, deixe um comentário pra um autor... Afinal, não adianta nada a gente ficar fazendo esse monte de post incentivando a literatura nacional, a literatura YAOI nacional se o incentivo mesmo fica só da boca pra fora.

Quer ver mais obras nas prateleiras? Compre e leia as obras já existentes! Só assim a gente vai conseguir se levantar e trabalhar pra quem realmente quer nos ler.

Vida de escritor não é fácil, não, principalmente pro brasileiro. A gente come, tem conta pra pagar, sabe? Se lá do outro lado do planeta, na terrinha do sol nascente que vocês tanto amam tem editoras responsáveis (em todos os sentidos da palavra) e grandes para publicar os quadrinhos que vocês tanto gostam de ler, foi porque de algum modo elas cresceram com o apoio dos fãs. Então porque não apoiar por aqui também, né? Não custa quase nada e fica a dica aí pra vocês.

Pra dar um empurrãozinho,  vou disponibilizar de graça o meu último lançamento na Amazon, o "Império Esquecido" até domingo, dia 3 de agosto. Tem resenha dele no blog Escolhendo Livros, pra quem quiser ler/saber mais detalhes da trama.

O "Anistia" também estará com com 30% de desconto durante 72 horas. Para ele, a promoção começa hoje, dia primeiro, e acaba segunda-feira, dia 04 de agosto. Então corram! Por algum motivo bizarro o KDP não reconheceu o desconto (pelo menos ele não aparece pra mim) :( Então farei a promoção do desconto mais pra frente, tá? Aviso aqui e na fanpage!

Além deles, estou oficialmente lançando o "A Última Festa" hoje na Amazon, que também vai sair de graça até amanhã! Só 48 horas de promoção! É um conto pequeno e eu até disponibilizaria de graça, mas a Amazon brasileira não me deixa fazer isso, então é um valor simbólico, tá? Pra ler sobre ele, tem resenha na Lavanderia.

O aplicativo da Amazon, o Kindle, pode ser baixado de graça tanto para PC, quando para celulares e tablets (iOS e Android), tá? Não precisa ter nenhum leitor de e-book para ler qualquer uma das coisas da Amazon! Quem não souber como, é só me perguntar! Através do Clube de Autores, os meus livros também podem ser baixados em outros formatos para ler também.

Lançarei outras obras em breve, então quem quiser ficar de olho, eu agradeço! Já adianto que farei um sorteio em breve de um deles (livro físico!) pra quem curtir a fanpage no facebook.

Quem por ventura ler alguma coisa minha, dê sinal de vida! Vivo procurando resenhas pra colocar nos livros, citar, agradecer, mas ninguém aparece! Deixe um comentário, mande um e-mail, eu não mordo! :P
Adicione no Skoob também, meus livros estão nesse link aqui, é só clicar. Estou também no Goodreads, podem me adicionar, não recuso ninguém! :D Blogueiros, comentaristas, fanáticos religiosos (??) que quiserem fazer resenhas dos meus escritos, fiquem a vontade!

Pra quem nunca leu nada da minha autoria, fica a dica que ali em cima, na barrinha aqui do site mesmo, clicando em "Escritos" vocês tem acesso a todos os meus contos avulsos, minhas novelas e series já publicadas na Lavanderia, tá? DE GRAÇA :)

Fiz ainda um conto para o dia de hoje e ele está no Wattpad sob o nome de "Areia de Estrela"! E se quiser saber sobre mim, é só ler essa página aqui. no Wattpad também posto contos e novelas em andamento, se quiserem acompanhar.

Enfim, segue a listinha das minhas obras atualmente publicadas:


Livros físicos e com versões digitais
(disponíveis para todas as plataformas, em PDF):



Livros digitais
(disponíveis para a plataforma Kindle, na Amazon):



Newsletter


Lembrando que inaugurei a newsletter essa semana e pra se inscrever, é só clicar na imagem:



2 comentários:

  1. Alguns desses eu até tinha conhecimento, mas a maioria é novidade pra mim. Culpa minha, lógico que ando sendo uma militante da causa meio ausente. Infelizmente ser estudante quebra a gente, mas desde que a maravilha da natureza chamada kindu foi inventada eu consigo economizar uns trocos e comprar alguns livrinhos em mobi. Obrigada pelas recomendações. Um Feliz (finzinho de ) Yaoi Day ^-^v

    ResponderExcluir
  2. OEOOEOEOE!! Feliz Dia Nacional do Yaoi!
    Sou só uma leitora mesmo, OI, nunca publiquei nada e o sangue trabalhoso de autor não corre nas minhas veias, MAS com certeza o de leitora assídua com fogo no cu pra yaoi hehehe -q
    Cara, eu li uns poucos por aí desses livros que você citou. Eu gosto do drama queen e confesso que é meloso pra CARAMBA a temática impregnada, quase surreal, dos romances BL. Mas sei lá, acho que já virou aquele negócio típico (até tem um monte de blogagem do dia nacional falando sobre isso huahusashuha) e o que vem pra ser diferente, É LUCRO! -q
    Eu odiei Traços, confesso, sou hater -q (mas não fico de mimimi nem faço blogagem hateando a autora pofavô); amei a Lenda de Fausto, Will & Will eu ri bastante e a temática quase foi esquecida por mim (de tão acostumada, socorro). Eu leio mais fanfics porque de ryca pra comprar livros sou: NADA; mas o que dá e o que me intererro eu compro, sim. COMPRAAAR essa coisa dramática tanto na vida dos fãs quanto nos autores. Comprar no Clube dos Autores é quase uma facada; por isso vou pelos autoes que tem editora que -às vezes- sai mais baratinho pra matar a sede de literatura purpurinada e -n HUSAHUAHSUAHSUASHA
    Tava lendo o texto e.... sensacional, cara. Pensei que tu tava irritada com umas coisas mas daí você comenta que estava alegre sobre essa coisa crescente e mais acessível, e eu me sinto da mesma forma! Até porque eu sou leitora apenas -q (quanto mais melhor n)~
    Desejo sorte, perseverança e alegria nessa vida difícil que é gostar dessa temática incomum antigamente, mas que hoje em dia "ABRE ALAS QUE STO PASSANDO" -n HUSAHSAUAHUSHAA XDD Espero um dia ler alguma coisa sua (e provavelmente vou ler, mas só quando eu aprender a mexer em coisa da amzon... quando eu receber porque ainda é dia 03... quando eu conseguir um computador pra ler... e é claro, quando eu acabar a minha lista pessoal de bang pra ler antes do mundo acabar n)~ Seu blog é uma lindeza só! E o post ficou maravilhoso! Sem palavras! (tanto sem palavras que eu tenho a sensação de que já escrevi demais aqui ERROR)~
    Enfim, vou pesquisar pra poder ler algo teu! Beijos!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...