Séries com representatividade LGBTQ

Não costumo falar muito de seriados aqui, a maioria das postagens é sobre filmes, mas eu assisto igual número de séries e resolvi fazer um post compilando algumas que eu gosto e que possuem boa representatividade LGBTQ. A maior parte delas são séries adolescentes que giram em torno ou têm foco em tramas com personagens na faixa etária dos 13-19 anos e que eu assisti - não vou falar de nenhuma que eu não tenha visto, e esta é uma lista curta e sem muitos detalhes. É pra servir de indicação, caso alguém esteja procurando algo novo para ver, ok? Algum dia eu faço posts separados sobre elas, quem sabe? Ah! São todas ocidentais, nada de asiáticos por aqui hoje. E tentei deixar as "menos adolescentes" pro final.

Detalhe importante: a lista NÃO está em ordem de preferência. Coloquei uma pequena sinopse seguida de um comentário.

The Fosters (2013-2018, 5 temporadas)
Em suma, a vida e o dia-a-dia de um casal de lésbicas que adota várias crianças e seus problemas.

Eu amo The Fosters. Deve ser uma das séries com maior representação positiva desse lista. Tem uma boa carga de drama, de adolescentes e de vida em tudo que mostra. Debate assuntos importantes e trabalha aquela premissa do efeito borboleta, sabe? Uma pequena atitude aqui pode gerar dezenas de consequências no futuro.
Mais que recomendada, apesar de alguns episódios serem bem pesados e emocionalmente desgastantes, além de enormes.


One Day At a Time (2017 ao presente, 2 temporadas até o momento)
Uma sitcom que conta o dia-a-dia de uma família cubana-americana.
A série discute coisas importantíssimas, como xenofobia, e possui personagens memoráveis. Não é meu estilo de série favorita, entretanto, mas os debates levantados e o texto em geral me incentivam a continuar vendo. Os episódios são curtos, então ponto positivo também.

Degrassi (2001-2015, 2016 ao presente. Next Generation teve 14 temporadas, e Next Class está atualmente com 4)
A série é uma franquia que se passa no universo Degrassi, um colégio - é a versão canadense de Malhação onde os adolescentes realmente parecem adolescente. As duas últimas séries da série (?), Next Generation  e Next Class adicionam elementos e personagens importantíssimos ao universo, e são nelas que você deve focar.
Os personagens são muito cativantes e a série tem um "clima pedagógico" muito forte, mas sem forçar a barra demais. Os episódios são curtos e poucos (cada temporada só tem 10), então dá pra maratonar sem cansar. Ah! Dá pra ver Next Class sem ter visto Next Generation, que vem antes, mas algumas coisas são bem jogadas, então recomendo ver a sequência toda.

Teen Wolf (2011-2017, 6 temporadas)
A vida de Scott depois que ele é mordido por um lobisomen durante o ensino médio.
Teen Wolf é muito ruim em algumas coisas, mas talvez por isso ela seja tão boa (trash, sabe?). Confesso que não terminei a série toda por motivos diversos, incluindo a saída de muitos personagens e a mudança radical na trama base, mas, de modo geral, é um ótimo passatempo e tem personagens LGBTQ muito bem representados e de forma não estereotipada, ponto mais que positivo. Se gosta de fantasia brega, tá aqui sua pedida.



Everything Sucks (2018, 1 temporada)
A vida de um grupo de adolescentes no começo do ensino médio e que parecem não ter nada em comum, mas são interligados de maneiras inusitadas.
Infelizmente e injustamente cancelada na primeira temporada, essa série é muito amorzinho! Fala de assuntos delicados como saúde mental, abandono e dificuldades nas descobertas. Além disso, se passa na década de 90, os elementos e visual são maravilhosos! Como foi cancelada, dá pra ver também numa sentada, sem se preocupar muito. Episódios longos, mas não maçantes, e o enredo é muito fechadinho.
Recomendadíssima!

Merlí (2015-2018, 3 temporadas)
Acompanha a vida de um professor que incentiva seus alunos a pensar de forma não-ortodoxa. Série da Catalunha.
A série não foca só no Merlí, mas em todos os seus alunos "apadrinhados" durante os 3 anos do ensino médio - cada temporada, um ano. Tem um texto brilhante e se você gosta de filosofia, mergulhe de cabeça! Eu também amo essa série de coração e me identifico muito com o Merlí. Há um livro baseado nela (recém-lançado no Brasil) e sei que também vai continuar em um spin-off contado pelo Bruno na faculdade. Tem umas cenas e assuntos bem pesados, e a linguagem não é exatamente correta, se é que me entende, mas eu também recomento muito.



Carmilla (2014-2016, 3 temporadas)
Baseada num livro de mesmo nome, conta a vida de adolescentes num colégio interno e as confusões que uma aluna nova, Carmilla, desperta em vários de seus colegas que acham que ela é uma vampira.
Assim como Teen Wolf, se você gosta de fantasia meio trash, vai adorar essa aqui. É uma web-série, e foi feita e gravada com baixo recurso, então não há muito o que criticar, só dizer que ficou muito boa pelo que se pretende. Os personagens são meio chatos, porém, só a principal me chama atenção, e a história foi reformulada para se encaixar nos dias atuais. Episódios curtos, dá pra ver de graça online. Há a produção de um filme em andamento.


Glee (2009-2015, 6 temporadas)
Focada no clube de coral de uma escola, cujos membros lidam com questões importantes como sexualidade, raça, relacionamentos e trabalho em equipe, enquanto competem nacionalmente.
Essa deve ser a mais conhecida da lista e eu não poderia deixar de mencionar. Glee tem um espaço muito especial no meu coração porque tem muitos elementos que gosto e trouxe muitas discussões na época que ninguém dava o devido crédito. Além disso, tem músicas maravilhosas e todos os atores se tornaram referências (positivas ou não, né) para muita gente. Sei que muita gente tem preconceito com Glee, mas se você gosta de drama, mas também de comédia, colégios e principalmente música, não pode deixar de assistir.



Skins (2007-2013, 7 temporadas)
O dia-a-dia de adolescentes britânicos com inúmeros problema, mas cheios de vontade de viver.
A série é dividida em 3 gerações de personagens, que por sua vez se encaixam nessas 7 temporadas. Sei que há um remake americano, mas aqui cito a série original, responsável por colocar vários atores nos holofotes de Hollywood. A primeira geração de Skins é meu elenco favorito, e me marcou muito na época (e marcou os atores também). Eu cresci assistindo e tem muita coisa pesada nessa série como um todo - além da linguagem, porque esses meninos falam palavrão demais! Não é pra qualquer um. Tem cenas que me chocam ainda hoje e me deixaram um tico traumatizada, tanto que tem episódios que eu não consegui assistir por inteiro (sério), mas traz discussões muito importantes e dramáticas de um jeito meio doido. É essa a melhor palavra para descrever tudo, eu acho: loucuras da vida.


Misfits (2009-2013, 5 temporadas)
Um grupo de adolescentes criminosos que são condenados a trabalho comunitário e, depois de uma tempestade, ganham super-poderes.
Do mesmo canal e produtores de Skins, Misfits no começo segue a mesma lógica: tem muito palavrão e loucura, mas as coisas vão entrando em questões mais sérias e profundas que isso mais pra frente. É uma série que mistura fantasia, viagem no tempo e um monte de outras coisas. Os personagens são muito cativantes e o enredo é bem desenvolvido, te prendendo até o final. É engraçada também, porque os "super-poderes" às vezes não são tão "super" assim.



Skam (2015-2017, 4 temporadas)
Série norueguesa que segue o ponto de vista de um personagem diferente a cada temporada, enquanto ele lida com problemas de relacionamento, família, escola e amizades.
Skam foi aquele achado! Os personagens são extremamente bem construídos e, como cada temporada é focada em um, vemos diversas perspectivas de um mesmo momento de acordo com a vivência e os pensamentos desse personagem-foco. É simplesmente muito bem feito, fora que a promoção e o marketing da série, que solta diversas conversas entre os personagens nas redes sociais, ou no telefone, acrescenta detalhes importantes na trama e que não aparecem nos episódios. Então Skam é uma série, mas também contém outras mídias, vários textos e fotos online, é um pacote completo. Recomendadíssima!
The 100 (2014 ao presente, atualmente com 5 temporadas)
Baseada numa série de livros, conta a vida de 100 adolescentes que são mandados à Terra depois que a humanidade se isolou no espaço devido às condições climáticas alteradas por guerras nucleares.
Vou encaixá-la no mesmo padrão de Teen Wolf, apesar de serem enredos totalmente diferentes, mas por serem fantasia (apocalíptica, nesse caso) e por terem efeitos especiais questionáveis, se é que me entende. A série começou com tão baixo orçamento que nem abertura tinha, mas é um trash não-tão-trash e com uma premissa muito boa! Eu gosto muito da construção dos personagens e da ambientação, apesar de todas as falhas - tem coisas muito legais, mas também tem aquelas cenas que você simplesmente não consegue engolir, sabe? Nunca li os livros, porém, então não vou saber comparar nada. Veja de mente aberta hehe


In The Flesh (2013-2014, 2 temporadas)
Depois de um apocalipse zumbi, o drama de um garoto que volta para a sua comunidade como um morto-vivo com problemas mais vivos que mortos, como qualquer adolescente.
Pouco conhecida, essa série mostra zumbis de um jeito muito mais humano que qualquer outra que eu já tenha visto. Aqui, a condição é tratada como uma doença, e o protagonista volta "recuperado" depois de morrer e ser "reanimado". Só que as circunstâncias que o levaram a falecer só são descobertas depois e interligam todos à sua volta.
Os episódios são enormes, de 1 hora de duração, têm um clima bem pesado e pra baixo, escuro, porque o tom em geral é dramático e doentio, mas tem uma premissa muito legal. Se você gosta de histórias pós-apocalípticas, dá uma chance. Infelizmente foi cancelada por falta de financiamento.


Shameless US (2011 ao presente, atualmente com 9 temporadas)
Acompanhamos a vida da família Gallagher, com seis filhos e um pai disfuncional cujas trapaças e maneira de levar a vida afetam todos à sua volta.
Shameless é baseada numa série britânica de mesmo nome, mas eu sinceramente prefiro a edição americana. É uma comédia de humor negro, mas com dramas familiares e pessoais bem reais. Não é exatamente adolescente, apesar da maioria dos personagens estar na faixa etária que citei no começo do post, mas traz dramas de adolescentes o tempo todo. Tem coisas bem pesadas na maior parte dos episódios, então recomendo cautela (e que você seja maior de 18 pra assistir também)! A "parte LGBTQ" da trama é muito emocionante e de partir o coração. Tem uma das melhores audiências na TV não é à toa.


É claro que tem muito mais séries com personagens LGBTQ, mas vale lembrar que nenhuma dessas foca exatamente neles ou nas suas tramas individuais porque eles estão ali como todos os outros, sem precisar "se diferenciar", entende?

Já assistiu alguma? O que achou? Aceito indicações sempre!

ps.: Pra quem se interessar mais, tem uma lista enorme com todas as séries que já tiveram personagens LGBTQ aqui.

2 comentários:

  1. Oie, Lorena <3 Nossa, eu fiquei muito triste com o cancelamento de Everyting Sucks!, porque essa série é só amorzinho <3 Tô pra assistir Merlí e Skam até hoje. Cresci vendo Skins também e Glee <3 Skins foi a primeira série que acompanhei na vida, aliás. Até hoje não assisti todas as temporadas, porque alguns plots que eu mais gostava estavam muito doidos e chatos. Amei demais as suas recomendações <3

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. MERLÍ É MUITO BOM! Assiste, vc nem vai ver o tempo passar, garanto!
      Skins também deve ter sido uma das primeiras que acompanhei de verdade, ansiando e tal, e eu também não vi tudo pelo mesmo motivo (e traumas haha).
      Espero que veja alguma outra da lista! Depois me conta o que achou!

      Excluir