Desafio Literário 2017 LGBTQ - Resultado

No começo do ano sempre tem aquela lista de desafios literários, certo? Ano passado não foi diferente, mas a especificidade do mesmo, digamos, foi. Será que eu consegui cumpri-lo?
2017 foi um ano difícil no quesito leituras para mim. Não consegui me atrelar muito à elas por conta de uma série de empecilhos, mas tentei fazer alguma coisa. É fato, porém, que não me atentei ao desafio em si para ler, só fui lendo, sabe? Agora vamos ver se eu consegue alguma coisa do que ele propunha.

Pra quem não viu, ou pra quem quer rever, o texto original sobre o desafio e com um monte de dicas de livros nacionais que poderiam ser lidos para ele está aqui.

Clássico LGBT: eu não li clássico algum em 2017, infelizmente. Não literário, mas acadêmico pelo menos li tudo de Foucault e da Butler, isso conta? hahaha
LGBT contemporâneo: praticamente tudo o que eu li foi contemporâneo, então esse foi mais do que cumprido. Vou citar alguns: "Openly Straight" (ou Apenas um Garoto, título nacional, resenha aqui) e "Quinze Dias", nacional, resenha aqui.
Não-ficção LGBT: achei sinceramente que não cumpriria esse item, mas como li muitas coisas não-literárias, por assim dizer, foi o que mais cumpri. Mas, bem, só pra citar, li o livro da Mandy, "Meu nome é Amanda".
Jovem Adulto LGBT: também foi o que mais li, como sempre. Vou citar "Fãs do Impossível" (título nacional, resenha aqui), mas os contemporâneos anteriores são todos YA.
Infantil LGBT: xiii, esse eu deixei passar... mas quem sabe em 2018?
Livro gay: aaah, 90% da minha lista de leitura. Vou citar "Condicional", nacional, resenha aqui.
Livro bi: a maioria dos contos que li protagonizavam personagens bis, mas vou citar o "Estre Estantes" da Olívia Pilar.
Livro Trans: "Todas as Cores do Natal" tem personagens trans, vale? Resenha aqui.
Livro lésbico: cumprido. "As cores, o tempo e nós", nacional, resenha aqui.
Bio de personalidade LGBT: acho que também vale o livro da Mandy, "Meu nome é Amanda", citado ali em cima.
Graphic novel LGBT: vale todos os mangás que li? Não é graphic novel, mas eu nem lembrei dessa categoria e sinceramente não conheço muito, então não vou citar, mas de mangás/webcomics eu fico com "19 Days" que é meu xodó de todo o sempre.
Fantasia/terror/distopia LGBT: cumprido! "O Livro Das Coisas que Nunca Aconteceram", nacional, resenha aqui.

Bem, cumpri muito mais do que o esperado!
Acho que o desafio continua válido independente do ano, né? Então que tal fazê-lo esse ano também!? No meu post original aqui, e nesse também, né, tem uma série de dicas de livros nacionais e internacionais para cada categoria/mês, então não tem desculpa se falar que não conhece nenhum livro que se encaixa, tá?
Vamos valorizar a literatura queer!

Nenhum comentário:

Postar um comentário